Compre Agora Conheça a Nossa Loja Virtual

Artista: Emerson L. Penerari

Salve galera da Comic City, hoje vamos pra terceira edição na nossa sessão: Artistas, uma sessão que visa ajudar artistas brazucas a divulgarem seus trabalhos, e como temos visto que o mercado de quadrinhos tem aberto portas para tais artistas, nada melhor que jogar na webesfera, trabalhos de muita qualidade, que deixariam de queixo caído qualquer editor chefe que se preze.

Hoje vamos apresentar o trabalho de um amigo que foi indicação de outra amiga nossa, a Lais, que já teve seu trabalho pubicado aqui, e que fez um desenho exclusivo pra gente, com dedicatória e tudo. Coincidência ou não ele é professor dos dois primeiros artistas que publicamos aqui. E aproveitamos pra fazer uma “entrevista” com mais um artista brasileiro. Pra que vocês, além de nós, conheçam um pouco mais sobre ele.

Batman e Superman

Nome completo: Emerson Leandro Penerari

Contatos:
email: leandropenerary@yahoo.com.br
twitter: @EmersonPenerari
facebook: Emerson Leandro Penerari

Portfólio:
Arte: http://penerari.deviantart.com/
Arte: http://gothic.flogbrasil.terra.com.br
Minha escola: www.anima.art.br
Minha música: http://www.myspace.com/emersonpenerari
Minha música: http://www.myspace.com/counterpartsmetal

Comic City: Quando começou a desenhar?
Emerson: Acho que a maioria dos profissionais da arte diz que desenha desde criança, e o mesmo acontece comigo. Desde os 4, 5 anos de idade eu venho desenhando e aprimorando.

Emerson

CC: O que motivou a isso?
E: Os fatos principais foram: Vim de uma família de artistas. Por parte de mãe, muitos dos meus parentes trabalham com alguma forma de arte, seja pintura, desenho, arquitetura, escultura e música.Por parde de pai, sempre fui influenciado a ler livros e quadrinhos, então aprendi a ler aos 5 anos com as revistas da Turma da Mônica e da Disney. Ao ler Conan pela primeira vez aos 8 anos, decidi que era aquilo que eu queria fazer: desenhar belos cenários de fantasia com muita ação!

CC: Fez ou faz, algum curso de desenho? aonde?
E: Estudei na Academia de Belas Artes – SP e fiz Licenciatura em Ed. Artística na UNAR. Também cursei CLA (Campinas) e ABRA (São Paulo), Desenho Artístico e Ilustração.

CC: Quais são suas referências? Segue algum estilo?
E: procuro me inspirar principalmente na natureza, acredito em um Artista Maior cuja noção de design é seguida pelos humanos em todos os aspectos da vida. Sem contar que o ápice divino foi a criação da forma feminina (rsrs). Dos grandes mestres da arte, cito em ordem cronológica de acordo com a minha idade: Maurício de Souza, Barry Windsor Smith, John Buscema, Frank Frazetta, Mort Walker, animações da Disney, Michelangelo, Leonardo DaVnci, artistas da velha guarda dos livros de RPG e das revistas de Terror, Eugênio Collonese, Will Eisner, Hieronymus Bosch, H. R. Giger, Salvador Dali, Gil Elvgren, Bill Watterson… a lista é grande…
Não sei se posso me encaixar em um ‘estilo’… quando desenho para mim, geralmente me inspiro em Fantasy Art e surrealismo, mas como profissional, faço desde personagens infantis estilizados, caricaturas, arte realista até pop art.

CC: O que gosta de desenhar?
E: Fantasy Art na linha do Frazetta, Boris Vallejo e livros de RPG, além de muitos corpos femininos, esqueletos e andróides.

CC: O desenho hoje é sua profissão? Como está o Mercado pra você? Tem trabalhado com o que?
E: Sim, o desenho é minha profissão. Parte da minha renda mensal vem das aulas que leciono em minha escola de artes, e a outra parte vem dos trabalhos freelance envolvendo arte, desde encomendas de retratos, caricaturas e pinturas para pessoas físicas até projetos ilustrados para empresas e editoras do Brasil e exterior.
Para mim o mercado vem sempre se renovando, e é preciso se renovar junto com ele. Já trabalho com desenho há mais de 15 anos, e teve momentos em que era preciso batalhar para divulgar o trabalho. Hoje, com a internet e muitos aspirantes a profissionais fracos e limitados a softwares gráficos, meu trabalho é sempre requisitado, a experiência e indicação de clientes me mantém abastecido por um bom tempo.

CC: Especificamente em relação a historias em quadrinhos, já trabalhou em algum projeto? Gostaria de faze-lo? Tem algum projeto proprio?
E: As três coisas (rs). Comecei a ganhar dinheiro com desenho aos 13 anos publicando fanzines artesanalmente com quadrinhos próprios. Já publiquei em pequenas coletâneas também, mas pretendo produzir um álbum em quadrinhos em parceria com um amigo escritor e lançá-lo aqui ou lá fora. No Brasil os quadrinhos ainda são encarados como coisa de fã, então se publicar aqui será mais para satisfação pessoal do que por dinheiro.

Emersom em studio

Emersom em studio

CC: Temos visto alguns artistas brasileiros fazendo muito sucesso lá fora, diferente de anos atrás, ode era raro um brazuca conseguir desenhar pra grandes editoras. Você acha que a mulekada de hoje em dia que tem vontade de trabalhar como desenhistas podem apostar suas fichas nisso?
E: Sim. Uma das coisas que atrapalha é que muitos jovens nem sequer consomem mais HQs, baixam da internet algumas edições e acham que já sabem desenhar como os profissionais. Lá fora existem revistas para todos os gostos e estilos, então é só criar algo bem feito e as chances serão grandes, independente se o estilo do artista for na linha do Marcelo Campos, Ziraldo ou Renato Guedes.

CC: Pra finalizar… você que já possui um trabalho incrível, quais são suas dicas pra quem quiser investir nessa carreira?
E: Acredito que todos os entrevistados dirão: desenhe muito, treine bastante (rs), então, além disso, citarei 5 deveres básicos do desenhista:
1) Armazene referências. Recorte de revistas, tire fotos.
2) Seja um bom observador. Saber desenhar de memória também é um ótimo exercício e tem horas que isso ajuda muito.
3) Tenha sempre em mãos um caderno de esboços (sketchbook). Treine rascunhos rápidos, desenhe enquanto está em alguma fila, crie um hábito.
4) Monte um bom protifólio, tanto físico quanto virtual.
5) Aprenda com os grandes mestres. Leia. Pesquise. Todo bom profissional, desde padeiros até advogados, se destacam pelo seu conhecimento da área. Com desenho não é diferente. Conhecimento é um tesouro.

Valeu Leandro, pra finalizar gostaria de agradecer pelo tempo que nos concedeu e pelo desenho que fez pra gente, parabéns, muito bom mesmo!! Sucesso pra você!!!