[REVIEW MANGÁ] – Resident Evil – Marhawa Desire

Resident Evil conhecido como Biohazard no Japão teve sua segunda série de mangás lançada por aqui, a história dos mangás é o roteiro original da Capcom escrito por Naoki Serizawa também responsável pela arte dos quadrinhos, a história se passa no colégio Marhawa que fica em uma ilha isolada, uma aluna se torna zombie e Doug Wright professor da universidade Bennett recebe uma carta da Madre Graça (direto do colégio) anunciando uma possível ameaça biológica para pesquisar sobre o incidente, Doug leva seu sobrinho Ricky Tozawa aluno do segundo ano da faculdade Bennett, Doug trabalhou há muito tempo na B.S.A.A (Forças Táticas especiais de combate ao bioterrorismo) ajudando a criar um antidoto para o vírus em uma missão em um shopping center nos E.U.A ,Chris Redfield (capitão da equipe alfa divisão América do norte) , Piers Nivans (membro alva da B.S.A.A divisão da América do norte) e Merah Biji (divisão extremo oriente)

RESIDENT_01

estão cumprindo uma missão em outra parte do oriente onde precisam da ajuda de Doug para o estudo de casos que vem ocorrendo por conta do perigo biológico do Biohazard (T-virus), porem Doug acaba tendo que ficar no colégio Marhawa em busca do foco de contagio do Biohazard, o professor tenta contactar a B.S.A.A, porem a madre Graça zela muito pela boa imagem do colégio e continua ocultando qualquer maneira de comunicação fora de Marhawa.

Chris e sua equipe já estavam precisando da ajuda do professor e foram a sua procura na faculdade Bennett já que não conseguiam ter notícia alguma de Doug, que para a missão em Marhawa ele havia pedido uma licença de três dias e não havia informado o porquê da licença já que pretendia manter em segredo a ameaça de uma arma biológica e assim a equipe de Chris e sua equipe começa a procura por pistas para encontra-lo.

Aqui no Brasil estamos apenas na primeira edição que promete ser vendida por aqui mensalmente, no mangá que também contém um capitulo especial fazendo uma prévia do que terá na próxima edição, Resident Evil nos mangás começou com o Biohazard The Umbrella Chronicles: Prelude to the Fall uma história dividida em duas edições, no Prelude to the Fall mostra Chris e Jill em um vilarejo na Rússia aos arredores de uma das bases de pesquisa Umbrella Corporation, estão lá devido a um vazamento do T-vírus que afetou o funcionamento do laboratório, o antagonista da história é Wesker um ex-integrante da S.T.A.R.S (Serviço de Resgate e Táticas Especiais) que ajudou no desenvolvimento do T-vírus estava lá para roubar pesquisas, já que não tinha conseguido ter para si o laboratório, Wesker consegue prender Chris em uma cela no sub solo do laboratório, e Jill estava tentando fugir de monstros da Umbrella (Jill acabou os atraindo para o laboratório pois estava em busca de Chris para livra-lo de Wesker e buscar reforços fora do vilarejo), e o próprio Wesker foi atacado no laboratório, porem ele havia injetado o vírus Tyrant (T-001) em si próprio (o Tyrant é a primeira versão do T-vírus é uma experiência falha), Jill consegue tirar Chris da cela e os dois conseguem fugir da mansão, enquanto isso Wesker acorda no laboratório já apresentando mudanças visíveis em seu corpo com mais força e rapidez que um humano normal conseguiu fugir a tempo da mansão antes que ela explodisse.

O primeiro mangá de Resident Evil segue a o roteiro original do primeiro game e explica bem o principio do T-vírus, que inicialmente foi criado por Albert Wesker e William Birkin nessa primeira versão do vírus (Tyrant ou T-001) a intenção era criar um super soldado (~le Capitão América ba dun tis..) com inteligência e força avançada, porem foi um experimento falho, pois a forma que o corpo do infectado tomava deixava a medula e o coração extremamente expostos assim sendo “facilmente” derrotado.